Operação prende suspeito de planejar atentados para matar juiz, promotor e policiais

0
6

Segundo investigação, o homem faz parte de uma organização criminosa que fazia ameaças direcionadas aos agentes públicos. Operação cumpriu mandados de prisão, busca e apreensão. Policiais participando da primeira fase da operação “COMMINATIO MAGISTRATUS”
Divulgação/PRF
Uma operação da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado no Tocantins (FICCO/TO) cumpre um mandado de prisão preventiva e outro de busca e apreensão nesta quarta-feira (10). O alvo dos mandados é suspeito de monitorar e planejar atentar contra a vida de agentes públicos na região de Dianópolis.
📱 Participe do canal do g1 TO no WhatsApp e receba as notícias no celular.
De acordo com a Ficco, o suspeito é membro de uma organização crimonosa que elaborou um plano de atentados contra um juiz, um promotor de justiça e policiais militares e penais.
Fórum de Dianópolis
Rondinelli Ribeiro/TJTO
A investigação começou em fevereiro e apurou que a facção com em todo o território brasileiro emitiu ordens, por meio de correspondências que partiram de Unidades Penais do Tocantins, para que seus integrantes executassem o plano e cumprisse os objetivos determinados pela liderança.
O suspeito é investigado pela prática dos crimes de integrar organização criminosa e ameaça. As penas máximas podem passar dos oito anos de reclusão.
LEIA MAIS
Grupo suspeito de ameaçar matar juiz, promotor e policiais do Tocantins é alvo de operação
A operação recebeu o nome de Comminatio Magistratus, em referência ao termo em latim “Ameaça ao Poder Estatal”, pois a organização criminosa elaborava um plano de atentados contra autoridades públicas.
A primeira fase da operação cumpriu 23 mandados de prisão e 36 de busca e apreensão em Dianópolis, Palmas, Dueré, Cariri do Tocantins, Porto Alegre do Tocantins, Rio Verde (GO), Formosa (GO) e Imperatriz (MA), expedidos pela Vara Criminal de Dianópolis.
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins